Evolução da Escrita Musical

Esse é um tema polêmico no ensino musical, já vi e escutei muita coisa sobre esse tema, tanto de pessoas da área musical quanto de leigos e curiosos, todos tem uma posição em relação a música. Muitas bandeiras são levantadas, mas em grande parte podemos encontrar uma grande dose de preconceito e de falta de conhecimento.

Um dos motivos que causa toda essa polêmica é muito relacionado com a escrita musical, no clássico a escrita predomina e no popular nem tanto, as vezes nem importa que haja escrita. Mas existem muitos outros motivos que fizeram essa separação: sociológicos, geográficos, econômicos e culturais.

Na história da música, a humanidade teve várias etapas de desenvolvimento e em alguns períodos  e em algumas culturas houve mais prósperidade e com isso maiores investimento nas artes. O desenvolvimento das artes sempre teve ligado a prosperidade econômica de uma determinada população. Isso fez com que linguagens musicais tivessem um desenvolvimento maior em determinados períodos em determinadas regiões. Com o surgimento da escrita musical e de formas de grafá-la ficou mais fácil de manter esses conhecimentos através dos tempos. Mesmo com todo o desenvolvimento mercantil da Europa, a música continuava a coexistir com o homem em todos os cantos do planeta: nas Américas, no Oriente, nas florestas, cavernas, desertos, mas sem o desenvolvimento escrito alcançado pelos Europeus, muitas dessas linguagens desapareceram ou ficaram confinadas a cultura local.

Enquanto os Europeus já tocavam flauta de metal, ainda nas Américas se usava o osso como flauta, mas ambos desenvolviam suas linguagens musicais da mesma forma, mas a européia conseguiu ainda maior desenvolvimento relacionado a dominar a tecnologia de grafar os simbolos musicais e perpetuar o conhecimento.

Música é feita de linguagem musical e ela é única, mas muito variada através das diversar  culturas, é uma linguagem complexa e dotada de muitas vertentes, desenvolvidas de acordo com cada cultura.

A música nasceu com o homem da pré-história, e nasceu livre, imitando os sons da natureza, foi usada no decorrer para muitas coisas no decorrer da história da humanidade, entre elas o entretenimento, eventos sociais e religiosos.

A História da Música é extensa e mais do que qualquer linguagem ocupou todos os povos do planeta, independente de fronteiras terrestres ou marítimas. Muitas linguagens surgiram e existem, outras desapareceram, nenhuma é mais ou menos, melhor ou pior, todas são criadas através da necessidade humana de  expressão musical artística.

A Europa foi o continente que dominou a maior parte do planeta durante séculos e conseguiu impor a sua linguagem através do mundo, de acordo com suas dominições além de suas fronteiras, tornou-se uma linguagem forte e muitas vezes imposta pela força da autoridade. Por isso a predominância em todo o Ocidente de sua música. No oriente a resistência a essa imposição foi forte e eles conseguiram manter suas tradições, sua linguagem foi desenvolvida e mantida de forma diferente. Enquanto na música ocidental se desenvolveu uma escrita na música oriental isso ficou muito ligado nas tradições e passagem de conhecimento através da imitação. E com as mudanças de poder muitos elementos de linguagem de uma cultura influenciou a outra.

O desenvolvimento da escrita e logo depois da impressão,  proporcionou a linguagem musical ocidental o desenvolvimento de tratados e leis, regras para se escrever e reproduzir essa linguagem, pois a gravação demorou a fazer parte da história da música. E a musica euroéia escrita ganhou forças e se espalhou por todo o planeta e junto seus precurssores e compositores.

Por outro lado a linguagem dentro de leis e tratados musicais podou muito da criatividade da música ocidental, que no seu início era muito mais livre usando cifras e baixos cifrados e até improvisação, mas que foi se perdendo na sua evolução ficando quase que totalmente só obediente a partituras musicais. Paralelamente, aqueles que não tinha acesso a esse conhecimento desenvolviam a música popular, que recebia influencias de todas as formas da música formal.

A necessidade, e isso é característica do seu humano, de criar, recriar, improvisar e inventar, fez que linguagem paralelas a essas leis e tratados fosse se desenvolvendo e então a cifra voltou a fazer parte das estruturas de escrita musical e ela ganhou força das camadas sociais que não tinham acesso a formalidade do aprendizado musical e a música popular foi se transferindo de geração como a oriental de forma imitativa e de símbolos que resumissem as formas de tocar.

Com a modernidade ambas as formas de linguagem são complexas e precisam ser desenvolvidas, onde nenhuma supera a outra, mas se completam.

Na minha visão de professor acho que todos os instrumentistas devem dominar todas as linguagens musicais para que consigam expressar sua musicalidade da melhor forma possível. Saber ler partitura (chamado pelos leigos de clássico) e saber usar as cifragens musicais sejam elas medievais ou modernas (chamado pelos leigos de popular) é obrigação de todo professor de música ensinar e todo aluno aprender.

Procuro ensinar as linguagens musicais que domino aos meus alunos, focando o ensino na partitura e sua interpretação bem como ensinando a usar as cifras e conseguir ter liberdade de arranjos, criações e improvisação. O professor tem essa responsabilidade, não sabe quais serão os desejos e necessidades dos alunos com o passar do tempo, se ele estiver bem preparado nunca terá problemas com a linguagem musical.

Anúncios